Close

Support Global Voices

To stay independent, free, and sustainable, our community needs the help of friends and readers like you.

Donate now »

See all those languages up there? We translate Global Voices stories to make the world's citizen media available to everyone.

Learn more about Lingua Translation  »

Brazil: Students arrested for demonstrating in the Senate

Democracy and freedom of speech in Brazil are being slowly put aside as we become used to hearing about situations like blogs censored and people held for demonstrating against corruption. On 19th August, a few students demonstrating against the Senate's President José Sarney were arrested, kept for three hours in a room within the Senate and subjected to many charges and threats. In this video, made by Christiane Couto, one of the students arrested, demonstrators are seen in the Senate and security start to act against them:

We can hear the security chief saying that “if you demonstrate inside the Senate, you come here [to this room]. It is the price for protesting”. The students also claimed that they were threatened with dismissal from their jobs and nearly had their documents seized too. Many Senators sympathized with the cause – as well as Member of Parliament Janete Capiberibe who insisted on remaining alongside the demonstrators – and convinced the security that they should be released.

André Dutra [pt], one of the demonstrators arrested, contextualizes the situation. He blogs:

Dentro do Senado, iniciamos nossa manifestação pacífica e logo fomos atacados pela truculenta segurança do Senado. Leões de chácara, resquício da ditadura, protegidos de Sarney. Foram em cima de nossos cartazes, torceram nossos pulsos, deram golpes sutis, acertaram mulheres, inclusive. Rasgaram tudo, mas não tiveram coragem de rasgar minha Constituição. Guardarei esse exemplar para sempre, memória de que ainda há um mínimo de respeito em meu país.

Once in the Senate, we started our peaceful demonstration and suddenly we were hit by the aggressive Senate security. Bouncers, remnants of the dictatorship, Sarney's protegés. They went after our banners, twisted our wrists, softly hit us, including the women. They ripped everything to shreds, but they didn't have the courage to rip my Constitution up. I'll always keep this copy; a memento that there is still a little respect in my country.

The case has been quite popular on the Brazilian blogosphere and amongst Twitter users as the mobilization against José Sarney grows every month. It has attracted the attention of celebrity bloggers such as Marcelo TAS [pt], a popular name on the Brazilian blogosphere and host of CQC, a humorous journalism TV show (acronym for “No Matter the Cost” in Portuguese). He expresses [pt] his feelings about this case:

Afinal existe ou não liberdade de expressão no país? […] Este blog apóia a liberdade de expressão e acredita que essa gentalha só aprende na base da pressão. Fora Sarney, reforma política já e vamos preparar os corações e mentes para varrer esses vermes nas Eleições 2010!

After all, is there any freedom of speech in this country? […] This blog supports freedom of speech and believes this ragtag only learn stuff when they are under pressure. Get out, Sarney; political reform now and let's prepare our hearts and minds to wipe out those worms in the 2010 elections!
A "Get Out, Sarney" banner shows the protest schedulle throughout Brzil. Source: Marcelo Tas' blog

A "Get Out, Sarney" banner shows the protest schedule throughout Brazil. Source: Marcelo Tas' blog

Luciana Capiberibe's Blog [pt] publishes a post about the way in which local media treated the issue. According to A Gazeta, a newspaper from Amapá, the Senate Police is supposedly investigating the participation of MP Janete Capiberibe in the organization of the protest, accusing the MP of paying R$ 40 (about US$ 21) to the students, so that they could take part in the demonstration. The blogger publishes photos of the paper's headlines and adds a caption:

Jornal A Gazeta, ligado a Sarney no Amapá, faz acusações infundadas

A Gazeta Newspaper, linked to José Sarney in [the state of] Amapá, makes unfounded accusations.

Francis Pessoa commented on Luciana Capiberibe's blog post above, adding [pt]:

[…] Interessante como a “IMPRENSA” amapaense funciona. Algum tempo atrás, uns que nesse jornal está, faziam parte do outro jornaléco diário. Hoje eles estão do outro lado e dizem que este (jornaléco) é o melhor, o mais importante, o mais lido periódico do Amapá. Mentem. O jornaléco é doado para reciclagem na lixeira pública.
Torço para que cada brasileiro tenha em casa um computador e INTERNET. Quando esse dia chegar, muito desses jornalécos pilantras irão sair de circulação e o cidadão terá acesso (democreticamente)as informações verdadeiras. E vocês, pilantras da “IMPRENSA” não terão mais vez…
[…]
Só faltava essa!!! Dirigentes do jornaléco, vocês pensam que somos idiótas? Estamos acompanhando tudo pela INTERNET, SITE’s, BLOG’s, TWITTER e por jornalista sérios de Belém do Pará, Brasília, São Paulo e outros. Mas o fim de vocês está próximo, não perdem por esperar…

[…] It is interesting the way Amapá “PRESS” works. A while ago, some of those who work in this newspaper used to work for another “broadshit”. Currently they are on the other side and say that they're the best, the most important and the most read newspaper of Amapá. They lie. The “broadshit” is given away to the street bins for recycling.
I hope that all Brazilians will own a computer and INTERNET access. When this day comes, many of those  swindler “broadshits” will cease to circulate and citizens will have access (in a democratic fashion) to the truth. And you, “PRESS” swindler rats, will no longer stand a chance…
That's all we need! Newspaper publishers, do you think we are stupid? We are following everything on the INTERNET, WEBSITES, BLOGS, TWITTER and serious journalists from Belém do Pará, Brasília, São Paulo and many others [states]. But your time is nigh and you'll wish for that…

Peaceful demonstrations for justice and freedom of speech and against corruption in the government are considered crimes in contemporary Brazil. Tsavkko – The Angry Brazilian [pt] cites many related cases all over the country, adding:

O que se vê é um processo – aparentemente irreversível – de criminalização e perseguição aos Movimentos Sociais, além de uma truculência absurda contra as liberdades do povo, contra o direito de protestar, reclamar e se manifestar. Abusos são constamentente cometidos pelas “forças de segurança”, provadas ou estatais, e nada nunca é feito.

A ditadura acabou quando mesmo?

What we see is an apparently irreversible process of persecution and criminalization of Social Movements, in addition to absurd aggression against the freedom of the people, their right to protest, complain and demonstrate. Abuses are often committed by the ‘security forces’, be they private or state run, and nothing is done against them.

When actually did the dictatorship finish?

André Dutra is seing holding a "Get out Sarney!" flyer.

André Dutra holding a "Get out, Sarney!" flyer.

2 comments

  • […] Posted by Monica Cruz on August 26, 2009 A group of students were arrested for protesting at the Senate House in Brazil. Read the complete story here. […]

  • alcides de oliveira

    300 METROS: O ATERRO DA VERGONHA

    É impressionante como as pessoas expressam as suas imaginações, os seus desejos, até certo ponto as suas demagogias, explicitamente, sem se importar se esses seus anseios são verdadeiramente os anseios de uma população, são os anseios porque primam uma sociedade na busca da sua melhoria de vida. A imaginação de pessoas não pode nunca cercear ou omitir a participação de uma população, pois é ela a verdadeira detentora do saber do que será bom ou do que será ruim, para ela, no presente e no futuro onde ali estarão seus filhos e seus netos e, portanto não pode errar em decisões que poderão muitas vezes ser terrivelmente maléficas para todos, principalmente se esse erro ocorrer contra o meio ambiente.
    Um exemplo de um mal terrível contra o meio ambiente, acredita-se, é uma proposta vergonhosa que está vergonhosamente sendo levantada por algumas pessoas, ditas preocupadas com o meio ambiente do Estado do Amapá, proposta essa que de uma maneira escandalosa levanta a possibilidade de aterrar o Rio Amazonas, na frente da cidade, afim de que se possa manejá-lo conforme interesses, talvez gananciosos, fazer um aterro rio adentro, matando uma parte do rio patrimônio da humanidade, talvez para a formação esdrúxula de uma praia artificial, depois que já se matou as praias naturais do grandioso rio na frente da cidade, para acomodação criminosa do ser humano no espaço que a natureza não reservou para ele aqui no Estado do Amapá, com centenas de quilômetros de ressaca aterradas estupidamente, se já não bastasse os crimes ambientais que estão sendo praticados contra o majestoso, e por isso seria mais salutar que pessoas gabaritadas no âmbito do meio ambiente se preocupassem em preservá-lo, se preocupassem em manter o que resta de natural na orla de Macapá, tão atingida fisicamente como moralmente, com as agressões que sofre pelas pessoas inconseqüentes no trato com a natureza.
    Essa proposta é de uma infelicidade tamanha, que preocupa, porque se se quer ajudar a matar o Rio Amazonas, que faz parte da vida de todos os Amazônidas, que em Macapá é a fonte de água que dá vida a tudo que é vivente sobre essa terra bendita, que muito ele dá de alimento a todos que o rodeiam e que dele precisam, que enche os olhos de quem é apresentado a ele pela primeira vez, que doa a sua brisa para todas as pessoas dessa terra, o que poderia ser feito com as nossas florestas, com o grandioso Oceano Atlântico e a sua praia Goiabal, o que será dos nossos maravilhosos igarapés que por si só melhor é do que uma praia, ainda mais sendo ela artificial e principalmente o que será de nossas crianças atuais, que conforme a proposta no futuro não terão a oportunidade de jogar um futlama, lama sagrada do Rio Amazonas, nas tardes ou nos finais de semana, e os arrastões que as famílias, carentes de alimentos, fazem no baixar das marés, na busca da captura de um camarão para alimentar seus filhos.
    Aonde chega o ser humano, e até aonde chegará maltratando assim o seu planeta, maltratando a sua morada, que o trata tão bem, que quer o seu bem, que lhe doa a sensação de felicidade, que lhe dá felicidade a si e aos seus, que é a natureza. O Rio Amazonas representa principalmente para os macapaenses a natureza viva que lhes dá vida e assim sendo o rio precisa de cuidados, o Rio Amazonas não precisa de aterro, o Rio Amazonas precisa é de respeito, o Rio Amazonas não precisa de praia na orla o que ele quer é continuar doando o que ele é para todos os amapaenses e assim sendo essas pessoas e suas propostas indecentes de aterramento do rio, não podem em nome do progresso, destruir todo ou pedaço, daquilo que para Macapá e para o seu povo é como um pai para o seu filho, e aquilo não é nada mais e nada menos que o fantástico Rio Amazonas.
    Respeitem esse rio, que não é esse, mas é o Rio Amazonas, e todos terão vida longa.

    Professor Alcides de Oliveira
    alcides.oliveira2005@ig.com.br
    Macapá — Brasil

Join the conversation

Authors, please log in »

Guidelines

  • All comments are reviewed by a moderator. Do not submit your comment more than once or it may be identified as spam.
  • Please treat others with respect. Comments containing hate speech, obscenity, and personal attacks will not be approved.

Receive great stories from around the world directly in your inbox.

Sign up to receive the best of Global Voices!

Submitted addresses will be confirmed by email, and used only to keep you up to date about Global Voices and our mission. See our Privacy Policy for details.

Newsletter powered by Mailchimp (Privacy Policy and Terms).

* = required field
Email Frequency



No thanks, show me the site